Teste toxicológico no cabelo:

Espectrometria de massa e cromatografia líquida

A ciência, a tecnologia e o jargão envolvidos no teste toxicológico no cabelo podem ser confusos para iniciantes.

Além de entender os benefícios e limites do teste no cabelo para drogas de abuso e álcool, organizações, assistentes sociais e advogados que solicitam o teste podem se beneficiar de uma visão geral de como o processo de teste chega a um resultado justo, preciso e útil.

A cromatografia líquida e a espectrometria de massa são dois passos essenciais do teste toxicológico no cabelo na ChromaTox, bem como em outros laboratórios. Nesse artigo mostraremos o que você precisa saber sobre ambos.

LC-MS/MS

O método de teste toxicológico que utilizamos na ChromaTox é a cromatografia líquida (LC) acoplada à espectrometria de massa (MS/MS), ou, para abreviar, LC-MS/MS. Esta é uma técnica que pode ser utilizada para analisar diversos compostos, orgânicos e inorgânicos encontrados em amostras ambientais e biológicas. É uma técnica popular utilizada por cientistas em ampla gama de setores, incluindo indústrias de biotecnologia, monitoramento ambiental, processamento de alimentos, forênsica e farmacêutica, agroquímica e cosméticos.

A técnica consiste em duas metodologias trabalhando simultaneamente. A cromatografia líquida separa misturas com componentes múltiplos, enquanto a espectrometria de massa combina uma identificação extremamente precisa de componentes individuais com alta especifidade e sensibilidade. Quando combinadas, temos uma ferramenta que pode identificar e quantificar qualquer sustância presente no cabelo.

Como a técnica funciona?

Quando recebemos uma amostra de cabelo em nosso laboratório, ela é lavada para a remoção de depósitos químicos no exterior dos fios. Após ser lavado, o cabelo é desintegrado por processos químicos ou mecânicos, para que se forme uma pasta ou líquido.

A amostra de cabelo é purificada através de um processo químico chamado extração em fase sólida, que remove substâncias indesejadas, mas retém as drogas e os metabólitos. Então, ela passa por um material absorvente sob pressão. Este é o processo de Cromatografia Líquida.

Substâncias diferentes passam pelo material absorvente em velocidades diferentes, o que nos possibilita separá-las em seus componentes individuais. Quando separados, podemos introduzir os componentes no espectrômetro de massa, que utiliza uma fonte de íons para reduzir os componentes do cabelo a íons, sua menor forma possível.

Quando o composto é introduzido na MS/MS, a primeira MS ioniza o composto em poucos e específicos pedaços. Estes pedaços, ou fragmentos moleculares, são específicos para cada substância individual e são chamados de íon pai. Os íons pais produzidos pela primeira MS são filtrados para permitir que fragmentos específicos entrem na segunda MS. A segunda MS transforma os íons pai e os fragmenta em íons produto, que são altamente específicos. Esses íons são a “impressão digital molecular” que identificará a substância sendo testada, sem margem para dúvidas. O(s) componente(s), é(são) então identificado(s) através de dois processos: cromatografia e espectrometria.

O processo é preciso e minucioso, mas também longo e utiliza vários equipamentos caros. Por este motivo, uma amostra pode também ser testada para a substância alvo através de um teste de imunoensaio. No teste de imunoensaio, uma substância química é adicionada à amostra para causar uma reação, o que indica se a substância alvo está presente.

Quando o teste de imunoensaio retorna com resultado positivo, este é considerado um resultado positivo presuntivo e o laboratório onde o teste foi efetuado deve efetuar o teste de LC-MS/MS, que fornece maior detalhes e, mais importante ainda, informações para a identificação e quantificação da substância presente.

Por que o teste é importante?

Nem todos os testes toxicológicos no cabelo envolvem cromatografia líquida e espectrometria de massa. Entretanto, alguns laboratórios são culpados de não conduzirem o segundo teste e declararem o “positivo presuntivo” para a substância alvo, resultado que posteriormente se mostra incorreto.

Ao efetuar os testes de cromatografia líquida e de espectrometria de massa, a ChromaTox se certifica de que a substância alvo é detectada, identificada e também quantificada. Portanto, quem solicitou o teste pode confiar na precisão do resultado.

Quais são os limites dos dois testes?

O teste LC-MS/MS pode confirmar a presença de drogas de abuso ou álcool no cabelo considerando um longo período de tempo, mas não pode afirmar com exatidão a data em que o doador utilizou a substância.

O cabelo humano cresce cerca de 1cm por mês. Portanto, ao testarmos 1cm do cabelo, pode-se dizer se o doador utilizou drogas ou álcool nesta janela de um mês, mas não semanalmente ou diariamente. Na verdade, o teste no cabelo é útil para detectar o uso de substância por vários meses, por exemplo, ao testar fragmentos 1cm de um fio de 4cm para detectar o uso de substância em um período de 4 meses.

Além disso, nenhum dos dois testes pode confirmar o contexto no qual as drogas ou o álcool foram utilizados. Testes no cabelo podem obter um resultado preciso sobre se há a presença de drogas de abuso no sistema de um indivíduo, mas para uma interpretação precisa do resultado positivo, precisamos saber o máximo possível sobre o histórico de uso de drogas do indivíduo, ou seja, qualquer informação que possa afetar o teste (por exemplo, se estiveram em uma festa rodeados de usuários de maconha) ou outros fatores externos que possam ajudar a construir um quadro do indivíduo.

Por este motivo, o realizador do teste deve  informar o laboratório sobre o contexto. Houve casos no passado em que doadores foram acusados e então absolvidos do uso de drogas de abuso porque o laboratório não estava ciente das condições do cabelo – por exemplo, o doador havia descolorido os cabelos ou então morava com um usuário de drogas. Nestes casos, o analista do laboratório precisa levar em consideração as condições informadas para a interpretação do resultado.

A cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massa é uma técnica poderosa e precisa para detectar o uso de drogas de abuso ou álcool. Entretanto, para que o método seja aproveitado ao máximo, tem de haver cooperação tanto da parte do doador quanto do laboratório que realiza o teste.

Reserve um tempo para entender os métodos utilizados pelo laboratório que realiza os testes no cabelo, e informe ao laboratório todos os detalhes relevantes sobre sua amostra. Esta pode ser a diferença entre um resultado justo ou um resultado falso.


Notícias relacionadas

Exame toxicológico em cabelo: Glossário de termos

Para desmistificar o jargão relacionado ao teste de cabelo, montamos um glossário de termos que poderão ajudar a entender melhor os termos usados.

continuar lendo...

Teste toxicológico no cabelo:

Espectrometria de massa e cromatografia líquida

continuar lendo...