Whatsapp Maps

Notícias

Cegueira intencional: por que as empresas evitam os testes de drogas no local de trabalho?

11/03/2019 Chromatox

Muitas empresas subestimam o quão difundido é o abuso de substâncias. Cerca de 1 em cada 12 adultos entre 16 e 59 anos usaram drogas no último ano. Quando restringimos a demografia para 16-24 anos, esse número sobe para 1 em cada 5.

O fato de que 30 milhões de nós também consomem álcool com frequência significa que sua empresa provavelmente já é afetada pelo uso de substâncias, quer você saiba disso ou não.

Isso tem implicações legais, de acordo com o direito consuetudinário e a Lei de Segurança e Saúde no Trabalho, de 1974, a Lei de Transporte e Obras, de 1992, e a Lei de Uso Indevido de Drogas, de 1971. A Lei de Segurança e Saúde no Trabalho torna ilegal, por exemplo, permitir conscientemente que um funcionário “sob a influência de drogas” continue seu dia de trabalho.

Os empregadores também arcam com os custos financeiros da perda de produtividade, da redução do moral, da contratação de suplentes e do recrutamento de funcionários substitutos quando seus funcionários abusam de drogas e álcool.

Os riscos são grandes e os problemas palpáveis. Então, por que tantas empresas optam por não testar seus funcionários para drogas (prescritas ou não) e álcool?


Cabeças na areia

Para os proprietários de empresas que são muito ocupados, uma questão como o abuso de substâncias por funcionários pode ser intimidante, pois pode criar novos problemas futuramente.

O argumento predominante entre as organizações de direitos dos trabalhadores é que o teste de drogas afeta negativamente o moral. Poderia perturbar os funcionários que não as estão usando, que podem achar que eles não são confiáveis. Isso pode contribuir para uma taxa de rotatividade mais alta entre os funcionários, o que é especialmente prejudicial para as empresas que dependem de equipes sazonais em períodos movimentados.

A forma como as políticas de drogas e álcool afetam funcionários sêniores é outro ponto. Os que mais recebem, aqueles que ganham £40.000 ou mais por ano, têm duas vezes mais chances de beber em excesso do que os que ganham menos. O preço de uma política rígida pode, portanto, representar a perda dos funcionários mais talentosos de uma empresa.

A agitação também é uma preocupação para empresas com funcionários sindicalizados. Muitos dos principais sindicatos, incluindo a UNITE (Sindicato britânico e irlandês dos trabalhadores e transportes), se opõem ativamente ao teste de drogas no local de trabalho. Tentativas de implementar testes de drogas podem inviabilizar negociações delicadas.

Finalmente, há a questão da acessibilidade. O teste de drogas é uma despesa que muitas empresas acreditam que poderiam dispensar. Geralmente, é mais simples e barato ignorar o problema.


Qual é a solução?

A pergunta sobre os testes no local de trabalho parece colocar os gerentes entre a cruz e a espada. Não aplique a devida diligência e sua empresa pode estar exposta a riscos desnecessários. Faça testes e você pode danificar o moral dos funcionários.

A solução é a efetiva elaboração de uma política de drogas e álcool que atenda às necessidades tanto dos funcionários como dos empregadores. Isso deve encorajar uma mudança na cultura do local de trabalho, onde o teste é visto como uma salvaguarda e não um fardo.

Uma política de drogas e álcool eficaz deve ser consistente e relevante para a empresa em questão. Se seus funcionários usarem maquinário, por exemplo, sua política deve estabelecer claramente que o abuso de drogas ou álcool levará à suspensão imediata ou demissão por razões de segurança.

Sempre busque aconselhamento jurídico sobre sua política antes de torná-la operacional no local de trabalho.

Uma vez que sua política esteja em vigor, a educação dos funcionários e da administração é primordial. Os funcionários aceitarão mais prontamente uma política se entenderem porque ela é necessária. Não há necessidade de o teste de drogas se tornar uma questão controversa. Os sindicatos aceitam exames toxicológicos, desde que estejam relacionados à saúde e à segurança dos funcionários.


Medo e realidade

Embora haja muitas razões para os empregadores fecharem os olhos quando se trata do uso de substâncias por funcionários, nenhuma delas vale o risco. A lei coloca uma responsabilidade clara sobre os empresários. Você é responsável por garantir um ambiente de trabalho e instalações seguros e adequados.

Não há razão relevante para temer uma política de drogas sensata e bem executada. Isso é verdade mesmo quando uma empresa inclui centenas ou milhares de funcionários.

Recentemente, ajudamos o governo brasileiro a implementar testes para todos os novos motoristas de caminhão profissionais no país, abrangendo todo o setor. Isso envolveu testar 57.000 indivíduos no primeiro ano de operação e levou a uma queda significativa no uso de substâncias entre a força de trabalho. O sucesso da nova política significa que ela pode ser estendida para incluir motociclistas particulares e, possivelmente, toda a população.

O teste não precisa ser controverso ou difícil de implementar. Testes consistentes e profissionais ajudarão a transformar seu local de trabalho e ajudarão a manter seus negócios do lado certo da lei trabalhista. Por que você não está fazendo isso?


[Texto original]