Notícias

Estudo: análise toxicológica do cabelo

09/04/2018 Chromatox

Utilidade clínica da análise toxicológica do cabelo

M. Andraus, L. Tsanaclis, M. Ribeiro, R. Laranjeira, C. Pisaneschi, M. Salvadori, J. Wicks

Maristela Andraus e Cristina Azevedo, da ChromaTox, apresentaram o trabalho durante o XXXII Congresso Brasileiro de Psiquiatria (CBP) Brasília, O principal objetivo desse trabalho M. Andraus, L. Tsanaclis, M. Ribeiro, R. Laranjeira, C. Pisaneschi, M. Salvadori, J. Wicks foi avaliar a utilidade da análise de drogas no cabelo como um biomarcador capaz de corroborar os dados da entrevista clínica de usuários de crack.

Métodos

Foram analisadas 333 amostras de cabelo de várias partes do Brasil, colhidas no início da internação voluntária e 30 amostras após a internação. As amostras foram analisadas por cromatografia liquida acoplada com espectrometria de massas (LC-MS/MS). Dados pessoais, história de vida e de uso de substâncias psicoativas foram obtidos na entrevista inicial antes da internação espontânea, em clínicas para dependentes (UNIAD e FEBRACT).

Encontre um posto de coleta Chromatox para realizar seu exame toxicológico

Resultados

Nas amostras colhidas no início da internação, a cocaína foi detectada em 272 amostras (0,5-385,2 ng/mg); AEME, marcador específico do uso do crack, foi detectado em 200 amostras (0,3-16,6 ng/mg); a benzoilecgonina, em 270 amostras (0,2-242,8 ng/mg), e a norcocaína , em 207 amostras (0,2-8,2 ng/mg). Os níveis detectados no cabelo não se correlacionaram com o consumo declarado da droga nem com os demais dados das entrevistas, como o tipo de habitação, educação, raça, religião, renda, ou uso de drogas pelos pais, nem com a idade de início do uso de drogas. As amostras coletadas na 2ª entrevista foram todas negativas para o uso de crack/cocaína durante período de detecção representado pelas amostras, confirmando o sucesso do tratamento.

Saiba como fazer exame toxicológico para CNH

Conclusões

Os resultados confirmam que não é possível deduzir, a partir dos níveis detectados no cabelo, a quantidade de droga utilizada, embora seja possível compará-los com resultados previamente obtidos pelo laboratório e monitorar a quantidade usada em um mesmo indivíduo. Os resultados confirmam a utilidade da detecção de drogas no cabelo na avaliação do consumo de drogas durante um longo período de tempo na corroboração da avaliação clínica.