Notícias

5 erros comuns a serem evitados na definição de sua política de drogas no local de trabalho

11/03/2019 Chromatox

Testes de drogas e álcool no local de trabalho podem ser repletos de complexidade. Enquanto os regimes de testes em si são fáceis de implementar, a configuração e a manutenção de políticas em torno dos testes exigem cuidadosa atenção aos detalhes.

Embora as empresas não sejam legalmente obrigadas a ter uma política sobre drogas e álcool no local de trabalho, não ter uma política ou ter apenas uma política ineficaz deixa as organizações em uma situação em que todos perdem.

Pressões financeiras e cargas de trabalho excessivas contribuem para e, frequentemente, são a causa do abuso de substâncias por parte dos funcionários, com cada vez mais funcionários de alto desempenho e em pleno funcionamento mantendo vícios secretos.

A maioria das organizações concorda que seus funcionários são seu maior patrimônio. Por isso, elas deveriam demonstrar um dever de cuidado, oferecendo uma política claramente definida para lidar com a questão do abuso de substâncias entre eles.

Os benefícios funcionam nos dois sentidos. O abuso de álcool custa às empresas cerca de £6,4 bilhões por ano, e as drogas, em torno de £800 milhões. O abuso de substâncias prejudica a produtividade, contribui para a rotatividade de pessoal e cria um ambiente de trabalho negativo para os funcionários. A implementação de uma política de drogas estruturada permite que as empresas reduzam o uso indevido de drogas, estabeleçam medidas proativas e imponham ações legais aos seus funcionários.

Então, como você garante que a sua política seja adequada à finalidade?

Aqui estão cinco erros comuns na definição de políticas, e como evitá-los.


1. Não ter uma política

Hoje, apenas 21% dos empregadores do Reino Unido adotam uma política rigorosa de drogas e álcool.

Sem uma política, os funcionários não têm nenhuma orientação sobre o que é e o que não é permitido quando se trata do uso de substâncias.

Indivíduos podem usar drogas dentro e ao redor de seu local de trabalho sem medo de represálias de seu empregador. Absenteísmo, rotatividade de pessoal e lucratividade fragilizada provavelmente afetarão sua empresa. A equipe ficará sem orientação quando surgir um problema envolvendo drogas ou álcool.

As políticas fornecem um protocolo consistente, justo e estruturado, que beneficia tanto os empregadores quanto os funcionários.

Elas também atuam como um impedimento. A existência de regras incentiva os funcionários a segui-las, e é provável que desencoraje os usuários de drogas a se candidatarem a um cargo em sua empresa, reduzindo ainda mais o seu potencial de perda de receita e problemas jurídicos.


2. Os detalhes da sua política estão incorretos

Qual é o objetivo da sua política? Para quem se aplica? As variações se aplicam a diferentes profissionais? De quais substâncias a sua política trata? O que acontecerá se os funcionários violarem as condições da política?

Seu documento de orientação deve ser abrangente, específico e claro. Se tiver três páginas, é provável que contenha áreas cinzentas que precisam de esclarecimento. Se tiver 20 páginas, as chances de alguém ler tudo são mínimas e, portanto, a política será difícil de ser aplicada.

Assegure-se de que todos os pontos importantes sejam abordados em detalhes, mas mantenha seu documento o mais claro e sucinto possível.


3. Você se decidiu por uma solução instantânea, pronta para usar

Quando se trata de políticas de drogas no local de trabalho, um tamanho não serve para todos. As necessidades organizacionais variam enormemente dependendo de fatores como saúde e segurança, sensibilidade dos dados e trabalho com menores. A opção por uma política generalista pode ser uma solução rápida, mas é provável que sua empresa fique exposta a riscos.

Empresas sensíveis à segurança, por exemplo, onde os funcionários operam máquinas pesadas ou sobem em escadas e andaimes, provavelmente se beneficiarão de programas de testes de drogas aleatórios e pós-acidentes, feitos sob medida. É improvável que isso esteja incluído em uma política baixada da Internet ou obtida de outra forma.

Para garantir que sua política seja apropriada e abrangente, evite soluções prontas e invista em uma política personalizada que reflita as necessidades de seu setor e negócios específicos.


4. Sua política está desatualizada

Nada dura para sempre, nem mesmo sua política de drogas no local de trabalho. Auditar sua política regularmente, pelo menos a cada seis meses, garantirá que os detalhes e as práticas sejam mantidos atualizados e válidos em termos jurídicos.

Uma política não verificada pode acabar sendo inútil se não estiver em conformidade com a nova legislação ou alterações de procedimento.


5. Sua política não tem um programa

Ter uma política abrangente sobre drogas e álcool no local de trabalho não significa que seu trabalho esteja concluído.

O próximo passo é envolver todos, estabelecendo um programa eficaz de implementação. Se a política é o livro de regras, o programa é como você coloca essas regras em prática.

Sem essas regras, os testes de drogas e álcool provavelmente serão menos consistentes e eficazes em toda a empresa. Comunique sua política e detalhes de testes com todos os membros da equipe e seja transparente sobre as repercussões da falha de um teste.

Gerentes de treinamento criarão um efeito multiplicador e uma cultura de abertura em torno de sua política de teste em todos os aspectos. Todos os funcionários e representantes sindicais devem estar totalmente cientes da política da empresa e do que é esperado desde o primeiro dia.

Muitas empresas ignoram os aspectos práticos da implementação de uma política, como fornecer formulários de consentimento para testes. Se estes estiverem faltando, o processo pode ser destruído e os resultados do teste podem ser considerados invalidados.

Embora o consentimento sempre tenha sido exigido para o teste no local de trabalho, a nova legislação GDPR (General Data Protection Regulation) sugere que as implicações pela não obtenção do consentimento completo, específico e inequívoco podem ser sérias e abrangentes. A multa por violar as novas leis de proteção de dados pode ser de até £500 mil, por isso, é vital garantir que o processo de consentimento da sua empresa seja adequado à finalidade.

Sem a proteção de uma rigorosa política de álcool e drogas específica para o setor, as empresas colocam a si mesmas e a seus funcionários em sério risco de perder dinheiro devido a absenteísmo imprevisto, produtividade reduzida e danos à reputação de sua marca.

Quando um funcionário testa positivo, as brechas legais podem dificultar a ação movida contra ele. Na pior das hipóteses, sua organização pode até se encontrar em risco de litígio.

Uma política de drogas estruturada e personalizada é a única maneira de impedir que isso aconteça e de manter seu local de trabalho produtivo, positivo e menos propenso a pressões desnecessárias.


[Texto original]