3 cuidados essenciais para os laboratórios com a fase pré-analítica

20/12/19 Chromatox


Você sabia que aproximadamente 70% dos erros ocorridos em exames laboratoriais estão concentrados ainda no início do processo? Ou seja, essas falhas ainda ocorrem na fase pré-analítica (preparação, coleta, armazenamento e transporte de amostras).

A importância que deve ser dada a essa etapa (pré-analítica) se refere não somente aos procedimentos de coleta, que devem ser realizados seguindo ordens restritas de acordo com cada tipo de amostra, mas também a todas as fases que antecedem esse momento, que se iniciam na própria requisição do exame até a chegada do paciente ao laboratório para a realização da coleta.

Nesse sentido, há uma longa trilha a percorrer, envolvendo o treinamento de diversos funcionários, o atendimento em diferentes momentos e o cumprimento das regulamentações do setor. Apesar de algumas etapas do processo conterem variáveis de difícil controle por parte do laboratório, na maioria dos casos, a aplicação do rigor técnico é o que determinará a segurança do paciente e a eficiência de resultados. Essa atenção deve se dar em diversos pontos. Veja três cuidados essenciais nessa fase:

1. Orientação e comunicação com o paciente
A negligência com o atendimento é, sem dúvida, um dos maiores riscos à sobrevivência e à eficiência de negócios, e a lógica se aplica totalmente aos laboratórios. Receber bem e instruir o paciente desde o primeiro contato com o laboratório transmite confiança e ainda garante a cooperação do mesmo quando necessário, facilitando o processo. É por esse motivo que o indicado é investir em atendimento humanizado e próximo, o que significa, em boa parte, voltar esforços para a criação de canais de comunicação variados e realmente eficientes – ou seja, o paciente consegue falar com um atendente e tem o seu problema solucionado sem complicações. Isso vale também para o atendimento presencial, que deve estar apto a tirar todas as dúvidas e orientar com precisão todo e qualquer procedimento realizado. Quanto mais disponível a empresa se mostrar para o seu cliente, maior a credibilidade transmitida.

2. Dignidade e privacidade do doador
É preciso lembrar ainda que o exame toxicológico tem cuidados específicos para garantir a discrição necessária, exigindo a realização em sala reservada e ainda a presença de testemunha. Esse é um cuidado destacado na legislação, que garante o direito à privacidade do coletor. No caso de exames em que possa haver dor ou traumas, a equipe deve estar corretamente capacitada a lidar de maneira humanizada com eventuais situações que ocorram.

3. Rotatividade de funcionários e falta de treinamento
Um grande dificultador para o cumprimento de tudo que já foi apontado até aqui está na frequente rotatividade da equipe, que gera maiores esforços para manter um padrão de atendimento e de procedimentos. Para tanto, o laboratório deve investir em treinamentos frequentes e evitar que orientações sejam dadas a novos funcionários de maneira informal.

Além disso, os treinamentos periódicos da equipe já atuante ajudam a garantir o controle sobre a rotina, de modo a fiscalizar o serviço que vem sendo executado. E justamente o que a Chromatox oferece constantemente aos colaboradores dos laboratórios parceiros, além de disponibilizar capacitação por meio da plataforma EAD.

Buscar a excelência no serviço oferecido é, em grande parte, atentar-se a essas dicas. Afinal, um pequeno deslize em qualquer passo é capaz de invalidar uma coleta ou, ainda, comprometer o resultado de um teste.

O primeiro laboratório no Brasil acreditado pela Cgcre NBR ISO/IEC 17025.

© 2019 Chromatox Laboratórios - Todos os direitos reservados