Desde de março deste ano está valendo a exigência da realização de exame toxicológico para todos os condutores habilitados nas categorias C, D e E. A seguir, confira o passo a passo para renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) dessas categorias.

renovar_cnh_exame_toxicologico

1. Para renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias C, D e E, o condutor deve escolher a unidade de coleta mais próxima (clique aqui acessar) e agendar o exame toxicológico(feito análise de fios de cabelo ou pelo). A escolha do laboratório e o agendamento do exame são feitos diretamente pelo motorista.

2. Com o laudo em mãos, caso o resultado seja negativo, o condutor deve comparecer ao Detran ou Poupatempo de sua cidade para realizar a captação de imagem e biometria. Leve RG, CPF, Comprovante de Residência e a CNH.

3. Após esse procedimento, o candidato deve ir a clínica de medicina de tráfego, a mesma indicada na abertura do processo de renovação de habilitação (feito no passo anterior), para realizar os exames de aptidão física e mental.

4. Se aprovado nesta última etapa, o cidadão que deseja renovar a CNH deve retornar ao atendimento do Detran com os laudos em mãos para finalizar o processo. A CNH fica pronta no prazo de 10 dias úteis.

Obs.: Para 1ª habilitação nas categorias C, D e E, ou mudança de categoria, clique aqui.

entenda_exame_toxicologico

ATENÇÃO
Caso seja reprovado no exame toxicológico, o condutor pode optar pelo rebaixamento da categoria ou cumprir o prazo de inaptidão temporária, de três meses, devendo realizar novo exame após esse período.

O exame toxicológico é realizado com fios de cabelos para detectar drogas e metabólitos que foram absorvidos e permanecem fixos no cabelo meses após o consumo.

SOBRE O EXAME TOXICOLÓGICO
A exigência do exame toxicológico para obtenção ou renovação da habilitação foi estabelecida pela lei federal 13.103/15, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), entrando em vigor em todo o país em março de 2016. O objetivo é prevenir acidentes de trânsito nas rodovias brasileiras. Profissionais como caminhoneiros são as maiores vítimas das estradas, principalmente pelo uso de drogas como consequência de longas jornadas de trabalho.